Prefeitura Municipal de Itajaí

25/04/2017

Guarda Portuária auxilia no resgate de afogamento

Entram em cena os guardas portuários Cristiano de Souza, 39 anos, e Manuel Floriano Peixoto Brito, 50 anos.

 Guarda Portuária auxilia no resgate de afogamento

 

O que era para ser um dia tranquilo na vida do jovem Josué e seus dois amigos, por pouco não se transformou em tragédia. Estava quase amanhecendo naquele sábado, 08 de abril e o cenário não podia ser melhor para visualizar o “nascer do sol” na Praia da Atalaia, em Itajaí.

Josué de Souza Porto, 17 anos, nascido em Itajaí e residente do Bairro São João, Acadêmico do 1º período do curso de Engenharia Civil no IFSC, recém-contratado para trabalhar numa empesa de grande porte de nossa região, estava acompanhado de seus outros dois amigos e naquela manhã tiveram a intenção de apreciar o panorama do local.

O horário indicava 05:30 da manhã e em poucos instantes, Josué aproveitou o momento de descontração e entrou no mar, porém, não imaginou o que viria pela frente. Após o mergulho, em poucos minutos, uma forte correnteza o puxou para dentro do mar fazendo com que Josué se afastasse cada vez mais de onde houvera entrado.

O sinal de incerteza surgiu e percebeu que seus esforços já estavam sendo em vão. Foi então que aconteceu o pior.

Josué foi arrastado mais ainda para dentro do mar fazendo com que se afogasse. Por minutos tentava de alguma maneira nadar para fora, mas a correnteza estava muito forte.    Após sua intensa tentativa de sair do mar, acabou se afogando e logo em seguida submergiu, indo a fundo.

Do lado de fora, nas pedras do molhe Sul, seus dois amigos encontravam-se em situação de desespero. Assustados, o pânico de ambos tomou a situação e provavelmente segundo relatos não conseguiram entrar no mar.

Entram em cena os guardas portuários Cristiano de Souza, 39 anos, e Manuel Floriano Peixoto Brito, 50 anos.

Durante a troca de turno de expediente na Sede Recreativa Portuária, gritos ecoavam na direção de ambos. Perceberam que algo anormal estava acontecendo em seus arredores e antes mesmo do ocorrido, Cristiano já havia percebido algo diferente no local, indo ao encontro dos outros jovens, questionando no ato se alguma coisa de errado estava acontecendo. Informaram lhe que não. Provavelmente por medo ou falta de responsabilidade com o que estava acontecendo.

Retornando para o posto, já na saída do turno, ficou a impressão de alerta e a certeza de que realmente estava acontecendo algum problema com os jovens. Ouviram mais gritos. Sem pensar duas vezes, Cristiano e Manuel não deixaram de lado suas preocupações e não mediram esforços para ajudá-los.

Enquanto o guarda Manuel se deslocava até os amigos de Josué para ver de fato o que aconteceu, na saída do turno, o guarda portuário Cristiano, mudou seu trajeto. Ao invés de seguir caminho para sua casa, se dirigiu rapidamente para a praia e constatou de longe que estava acontecendo um afogamento.

“Quando entrei no mar e nadei até o local onde poderia avistar Josué, percebi que realmente se tratava de um corpo boiando e foi então que, mesmo com a correnteza das ondas, consegui chegar até ele e trazer para fora do mar. Foi muito difícil conduzir ele até a areia da praia. Demorou até “dar pé” e quando uma equipe de salva vidas chegaram até nós, ainda estávamos na metade do trajeto para sair da água. Eles concluíram o resgate e isso tinha me deixado mais calmo”, lembrou Cristiano.

Quando resgatado, Cristiano lembra que após o afogamento de Josué, o mesmo imergiu e no momento já estava inconsciente e não apresentava sinais de resistência junto às aguas que o arrastavam mais ainda para dentro do mar, “Ele não apresentava nenhum sinal de vida. Estava completamente inconsciente e não reagia a nada”, descreveu.

Após a equipe de resgate do Corpo de Bombeiros realizar os devidos procedimentos de salvamento à vítima, imediatamente Josué foi encaminhado às pressas para o Hospital e Maternidade Marieta Konder Bornhausen.

Josué acordou somente três dias depois do afogamento. Ficou em coma por mais de 72 horas na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) do hospital.

Passado os momentos de angustia e nervosismo, nessa semana, Josué esteve na sede da Superintendência do Porto de Itajaí, acompanhado de sua mãe, Marcela Rodrigues de Souza e dos guardas portuários, Cristiano e Manuel.

Na oportunidade, através da Gerência de Segurança Portuária, ambos os guardas foram homenageados pela atitude e esforços dedicados em salvar a vida do jovem Josué.

“O que eles fizeram foi um verdadeiro ato de coragem. Seguimos muitas atribuições de segurança relacionadas à área do Porto Organizado e nessa situação, prevaleceu o instinto de ambos os guardas. Que essa atitude sirva de exemplo e inspiração para qualquer pessoa, afinal hoje estamos aqui com o jovem Josué e somos muito gratos pela participação dos guardas”, destacou Sandro de Ramos, Gerente de Segurança Portuária.

Segundo informações do setor de segurança portuária, essa foi a primeira vez que guardas portuários da Superintendência do Porto de Itajaí prestaram esse serviço de salvamento em mar às vítimas.

“Meu conselho é para que ninguém entre no mar de noite. Que ninguém saia por aí se aventurando. Só temos uma vida e senão a respeitarmos, não estaremos aqui para vivermos”, reforça o guarda portuário Manuel.

Com muita emoção e sentimento de intensa gratidão, Marcela Rodrigues de Souza, mãe de Josué, enalteceu os guardas portuários Cristiano e Manuel pelo empenho em salvar a vida de seu filho mais novo, “A vida de meu filho foi preservada por um milagre. Agradeço profundamente a ambos. Aprendemos uma lição na vida com isso e certamente Josué também aprendeu. Hoje ele está aqui e sou muito grata a Deus primeiramente e a estes senhores por salvarem meu filho”, comentou.

Para Josué a vida recomeçou do zero e agora fica na memória o registro de quem sobreviveu a um afogamento, mas acima de tudo fica o agradecimento de quem lhe salvou, “Não tenho palavras para agradecê-los. Senão fosse por eles eu não estaria aqui agora. Aprendi que devemos dar valor para as coisas mais simples da vida, até mesmo em cuidar do nosso corpo e dar mais atenção à vida sem cometer riscos”, acrescentou Josué.

Destaque primordial durante a operação de resgate coube ao servidor Luciano Maçaneiro, que atua no monitoramento de imagens, respostas rápidas, informações precisas entre outros serviços. A sua volta equipamentos tecnológicos de monitoramento lhe dão o suporte de observar e analisar tudo o que acontece no complexo.

A Guarda Portuária, através de sua gerência, informa que as imagens do resgate realizado pelo guarda portuária, Cristiano de Souza, foram gravadas pelo sistema de monitoramento de câmeras junto ao CCCOM – Centro de Controle de Comunicação e estão disponíveis para os membros da imprensa e podem ser analisadas com Luciano Maçaneiro.

 

Foto Legenda - Da esquerda para a direita:

Jorge Roberto de Souza(Inspetor de Segurança da Guarda Portuária), Héder Cassiano Moritz (Assessor de Direção), Cristiano de Souza (Guarda Portuário), Marcela Rodrigues de Souza (Mãe de Josué de Souza Porto), Josué de Souza Porto (....), Manuel Floriano Peixoto Brito (Guarda Portuário), Sandro de Ramos (Gerente de Segurança Portuária), Marcelo Werner Salles (Superintendente do Porto de Itajaí) e Diogo Henrique Schmitt (Inspetor de Segurança da Guarda Portuária). 

Foto Legenda – Luciano Maçaneiro com Sandro de Ramos.

  • Enviar para amigo
  • Imprimir
  • Link:

Enviar notícia para amigo






Rua Blumenau, 05 | CEP 88.305-101 | Centro | Itajaí | Santa Catarina | Brasil
Telefone: [+55] 47 3341 8000