Prefeitura Municipal de Itajaí

31/03/2020

Manobras especiais com navios de até 306 metros foram realizadas com sucesso na área da nova Bacia de Evolução.

Após homologação da Marinha, Porto de Itajaí e Complexo Portuário estarão prontos para receber grandes embarcações de 350 metros de comprimento.

Itajaí, 31 de Março de 2020.

Superintendência do Porto de Itajaí – SPI.

Secretaria Geral de Comunicação Social – SECOM.

 

Manobras especiais com navios de até 306 metros foram realizadas com sucesso na área da nova Bacia de Evolução.

Após homologação da Marinha, Porto de Itajaí e Complexo Portuário estarão prontos para receber grandes embarcações de 350 metros de comprimento.

 

Nesta segunda-feira, 30, aconteceu na área da Nova Bacia de Evolução do Complexo Portuário de Itajaí, a décima segunda manobra especial com navios de até 306 metros de comprimento e 48,50 metros de largura.

Todas as operações de manobras foram regulamentadas e autorizadas pela Autoridade Marítima (Marinha/Delegacia da Capitania dos Portos de Itajaí), e foram totalmente acompanhadas e monitoradas pela Superintendência do Porto de Itajaí, Guarda Portuária, Marinha, Praticagem, Terminais Portuários (APMT e PORTONAVE), Armadores, agenciadores marítimos e empresas de rebocadores.

Em todas as manobras especiais, realizadas em frente ao molhe da Marina Itajaí, próximo à Baía Afonso Wippel, um dos pontos mais importantes para dar segurança de navegabilidade, esteve associado a interdição do canal de acesso do Rio Itajaí Açú, com o acompanhamento de embarcações de apoio da Marinha do Brasil e outras lideradas pela equipe de Guardas Portuários da superintendência. Pontos como o Ferry Boat, Marina de Itajaí e frota pesqueira, tiveram excepcionalmente suas atividades de rotina completamente interrompidas durante alguns períodos das manobras. Assim que se encerravam as manobras, todos estes locais retornavam com suas atividades normais.

Foram doze manobras de entradas e saídas realizadas com sucesso. Para as manobras de saída, o navio desatracava do cais, seguia de popa (ré) até a área da nova Bacia de Evolução, onde fazia o giro de 180º graus partindo de proa (frente) para fora do canal de acesso. As outras seis, de entrada, o navio realizava o giro de 180º graus na área da bacia, e na sequência, seguia de popa (ré) até o local de atracação. As manobras se davam por encerradas, assim que o navio atracasse junto ao cais do terminal, ou que saísse por completo da área da bacia cruzando o canal da barra.

Todas as manobras especiais realizadas na área da nova Bacia de Evolução, foram com navios (embarcações), que já operam no complexo local, e que sucessivamente serão substituídos por navios de 336 a 350 metros de comprimento.

Com base no plano de ações estruturantes do complexo portuário de Itajaí, no que compreende sua readequação do acesso aquaviário, o valor total investido nesta primeira etapa da obra foi de R$ 174,6 milhões, sendo R$ 129 milhões oriundos do Governo do Estado de Santa Catarina através da Secretaria de Estado da Infraestrutura, R$ 40,1 milhões da do Porto de Itajaí e R$ 5,5 milhões da Portonave (Porto de Navegantes).

A nova Bacia de Evolução, nesta primeira etapa, contempla 500 metros de diâmetro e profundidade de 14,00 metros.A primeira manobra especial foi realizada em 16 de janeiro e houve ampla divulgação pela Autoridade Portuária e demais envolvidos. Considerada um momento histórico para a atividade portuária do complexo local, este tipo de manobra ganhou destaque inédito na América do Sul, e consequentemente todas as outras manobras foram realizadas com sucesso:

“Fazer uma manobra a ré (popa), onde a embarcação fica sem máquinas e os rebocadores efetivamente o conduzem até a área da bacia, ou vice-versa na área da nova bacia, não é inédito no mundo, tradicionalmente esse tipo de operação já são realizadas em vários portos da Europa, e agora, realizamos e finalizamos esta etapa no Brasil, melhor, aqui em nosso complexo. Essa manobra faz parte de um conjunto de ações que estamos fazendo para fazer com que a infraestrutura do complexo portuário de Itajaí possa atingir e atender os navios denominados mega ships, navios com até 350 metros de comprimento, mas na próxima fase daremos início a novos testes com navios de 336 metros de comprimento e 52 metros de boca (largura), e com isso, aguardar em definitivo a homologação da Autoridade Marítima (Marinha) ”, destaca o Superintendente do Porto de Itajaí, Engº Marcelo Werner Salles.

Para que as obras da Bacia de Evolução nesta primeira etapa fossem concretizadas, houve um grande engajamento e união de forças por parte da Superintendência do Porto de Itajaí, Município de Itajaí, Portonave, APMT, Marinha do Brasil, Governo Estadual, Câmara de Vereadores de Itajaí e Navegantes, Associações Empresariais de Itajaí e Navegantes, e diversas entidades de classe.

“A conclusão das manobras especiais na nova bacia de evolução torna-se neste momento ainda mais relevante e emblemática. As ações implementadas até aqui, com ampla participação e apoio de todas as entidades permitiram que chegássemos neste estágio. Estamos prontos para receber as grandes embarcações, que trarão consigo mais amplitude e relevância para o Complexo Portuário do Rio Itajaí Açu. Precisamos agora de uma velocidade ainda maior para que tenhamos a homologação final e a aplicação de fato das novas condições de manobras. Estamos em um momento que exige uma grande integração para dinamizar a economia do país e, por aqui, não podemos perder o próximo ciclo dos navios acima de 336 m de comprimento que se aproxima. A expectativa para a movimentação de cargas em nossa região e o consequente reflexo na economia, nos negócios e investimentos, exigem, mais do que nunca, agilidade na tomada de decisões e ações efetivas por parte das empresas e governo. Neste sentido, entender o momento, implementar medidas eficazes e rápidas para atenuar os impactos e criar condições para retomada da economia será determinante. E aqui, a competitividade de toda uma cadeia logística será impactada positivamente com esta importante melhoria na nossa infraestrutura de acesso aquaviário”, destaca Osmari de Castilho Ribas, Diretor Superintendente administrativo da Portonave.

O Complexo Portuário de Itajaí é segundo maior em operações de contêineres no Brasil, representando 5% da balança comercial brasileira e 70% dos produtos produzidos em Santa Catarina. Todas essas estatísticas são verdadeiras e contribuem para o sucesso junto as exportações e importações no mercado internacional.

“Empresas de Armadores já realizaram estudos econômicos junto ao Complexo Portuário local, e destacaram que em Itajaí, de cada contêiner que entra no complexo, é deixado em nossa atividade econômica, na nossa cidade de Itajaí e de Navegantes, R$1.600,00. Se nós movimentarmos 100 mil contêineres, que nós já estamos movimentando, é uma injeção de recursos de 160 milhões por mês na nossa atividade, ou seja: quase três bilhões nas nossas cidades. Por isso que é extremamente importante mantermos a atualidade da infraestrutura do Porto de Itajaí para que a gente possa manter as nossas operações em ritmo crescente”, afirmaSalles.

2ª etapa das obras da Bacia de Evolução (navios de 366 a 400 metros de comprimento):

Em setembro de 2019, membros da Superintendência do Porto de Itajaí, APM Terminals, Portonave, Prefeitura Municipal de Itajaí, Câmara de Vereadores de Navegantes, Associação Empresarial de Navegantes, representantes de entidades de classes e de demais instituições públicas e privadas, estiveram reunidos com Senadores e Deputados Federais que representam o Fórum Parlamentar Catarinensena sala de reuniões das Comissões da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (ALESC).Na oportunidade foi entregueuma "Carta de Apoio Institucional para dar início pela2ª Etapa das Obras de adequação nos acessos aquaviários do Complexo Portuário de Itajaí.

O documento destaca a realidade dos compromissos assumidos pelo Governo Federal e as discussões para viabilização e processo licitatório da obra. Com o término da primeira etapa das obras em agosto do ano passado, dada a sua importância e dimensão para executar a segunda etapa da implantação da nova bacia de evolução para atender navios de até 400 metros de comprimento e 65 metros de largura, já possui previsão de recursos da União de aproximadamente R$ 250 milhões, previstos no Plano Plurianual (PPA - Ministério da Infraestrutura) de 2020 a 2023. A obra também já está projetada e licenciada ambientalmente.

Concluída as obras da segunda etapa, o Complexo Portuário de Itajaí poderá operar com navios de até 366 metros de comprimentos e 51 metros de boca (largura), podendo receber embarcações de até 400 metros de comprimento.

Para o Prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni, é preciso manter a união de forças e assegurar esta atividade econômica tão importante e representativa para o Complexo Portuário de Itajaí, antes de mais nada pensando lá na frente, pois o primeiro passo já foi dado para garantir a vinda de navios de grande porte:

“A Bacia de Evolução já é uma realidade para as operações de grandes embarcações em nosso porto. Se hoje já está sendo fundamental o incremento para a nossa economia, da região e principalmente em nosso Estado, onde o complexo representa 70% da balança comercial do Estado e 5% da balança comercial do país, precisamos olhar para a frente, pensar na próxima etapa, pois nos próximos anos o Porto de Itajaí e o Complexo num todo não podem ficar de fora do mercado internacional de navios de acima de 366 até 400 metros que já frequentam a costa brasileira”, conclui.

 

Mais informações:

Secretaria Geral de Comunicação Social da Superintendência do Porto de Itajaí (SECOM/SPI).

Texto e Fotos: Luciano Sens – Sec. Geral de Comunicação Social da Superintendência do Porto de Itajaí.

(47) 3341-8067

  • Enviar para amigo
  • Imprimir
  • Link:

Enviar notícia para amigo






Rua Blumenau, 05 | CEP 88.305-101 | Centro | Itajaí | Santa Catarina | Brasil
Telefone: [+55] 47 3341 8000