Prefeitura Municipal de Itajaí

18/06/2018

Movimentação de maio foi atingida pela paralisação dos caminhoneiros.

Mesmo assim crescimento foi de 3% no montante do ano. Restabelecimento de profundidade mínima no canal de acesso aquaviário foi um fator favorável nas operações.

Movimentação de maio foi atingida pela paralisação dos caminhoneiros.

Mesmo assim crescimento foi de 3% no montante do ano. Restabelecimento de profundidade mínima no canal de acesso aquaviário foi um fator favorável nas operações.

O Complexo Portuário de Itajaí fechou o mês de maio de 2018 com saldo estável na movimentação de cargas. No encerramento do mês foram registradas 77 escalas (atracações) efetuadas no Complexo totalizando a movimentação de 988.365 toneladas elevando a movimentação acumulada do ano para 409 escalas, com 5089.058 toneladas, constatando um crescimento de 3% na movimentação total de cargas em relação ao mesmo período do ano anterior, durante os cinco primeiros meses do ano.

A movimentação nos berços públicos/Cais e da APM Terminals Itajaí (margem direita do Rio), durante o mês de maio somaram 35 embarcações elevando a movimentação acumulada do ano para 157 atracações verificando-se um crescimento de 6% em relação aos meses de janeiro a maio de 2017. Sua movimentação de cargas foi de 360.981 toneladas e 37.060 contêineres movimentados (Twenty-foot Equivalent Unit – unidade internacional equivalente a um contêiner de 20 pés). O Complexo movimentou somente no mês de maio 95.810 contêineres. Com base nos primeiros cinco meses deste ano, a APMT movimentou 143.615 contêineres, registrando um crescimento de 65% em relação ao mesmo período de 2017.

Mesmo apresentando esse quadro em função da paralisação dos caminhoneiros, de acordo com o Assessor de Direção da Superintendência do Porto de Itajaí, Héder Cassiano Moritz, a movimentação de cargas registrada no mês de maio poderia ter sido melhor, “ A paralisação afetou a boa performance que o Porto vinha apresentando nos últimos meses e seus reflexos puderam ser reconhecidos principalmente quanto a chegada das cargas de exportação. Estávamos de uma movimentação favorável, porém as cargas apresentaram queda, e mesmo assim no acumulado do ano representou um crescimento de 3%”, destaca Héder.

No comparativo do Complexo, destaque ainda em maio deste ano quanto aos itens de movimentação de contêineres (TEUs), tonelagem e atracações. Se comparados somente com o mês de maio de 2017, na quantidade de movimentação de TEUs o crescimento foi de 29% passando de 74.236 unidades para 95.810. No número de atracações o crescimento foi de 20% registrando de 64 navios atracados para 77 e na movimentação de toneladas o aumento foi de 24% quando em maio do ano passado foi registrado 797.223 para 988.365 toneladas em 2018.

Para o Superintendente do Porto de Itajaí, Engº Marcelo Werner Salles, a  greve dos caminhoneiros deixou para trás o bom desempenho que o Complexo num todo vinha apresentando, mas para o próximos meses, sua recuperação será imediata, “Estávamos num ritmo positivo quanto as estatísticas de operações, mas infelizmente, assim como outros portos do Brasil, toda a cadeia logística produtiva, teve suas atividades interrompidas pela greve dos caminhoneiros e isso impactou significativamente nas condições operacionais do Complexo Portuário de Itajaí. São perdas significativas nos números que eram sempre expressivos de crescimento e que realmente geraram esse déficit de operação. No transcorrer dos próximos meses certamente haverá um retorno na atividade, mas estaremos prontos para dar continuidade as operações pois nossas instalações já estão apropriadas e cada vez melhores, inclusive com condições de profundidade de navegação restabelecidos”, reforça Salles.

Ainda em relação ao desempenho dos números em maio, dois fatores foram essenciais para a estabilidade de movimentação portuária, registrando a primeira atracação do navio “BBC Switzerland”,no berço 3  e também o restabelecimento de profundidade nas margens de atracação de navios, “Com os trabalhos de dragagem de recuperação de profundidade concluídos no início de maio, manteve-se restabelecido a profundidade mínima de 14 metros no canal de acesso aquaviário e com isso nos deu condições com calados de movimentação em torno de 11,90m e 11,20m cuja estatística já se trata de um dado histórico para o Complexo e  isso nos favorece“”, acrescentou Héder.

No sentido de toneladas de cargas, em termos percentuais, maio registrou a participação das exportações em 61% e nas importações com 39%. No ranking das importações se destacam as mercadorias de Cerâmica e Vidros em 86,9%, Madeiras e Derivados com 148,9% e Alimentos em geral com 78,9% registrando no acumulado do ano um crescimento de 42% em relação ao mesmo período do ano passado.

No setor de exportações o seguimento das mercadorias de cargas congeladas (REEFERS) de Frangos, Carnes e Peixes, registraram queda em -94,7%, -93,7% e – 92,6% respectivamente. A movimentação da Balança Comercial destacou retração através de receita cambial pois está associada desde o final do ano passado 92017) quanto ao embargo da Rússia para as cargas de carnes suínas e também quanto às restrições impostas pela China, União Europa e Arábia Saudita.

No Terminal PORTONAVE ​a movimentação realizada durante o mês de maio ​foi de 38 escalas ​elevando a movimentação acumulada do ano ​para 223 ​navios ​atracados, registrando-se uma queda de 17% ​em relação ao mesmo período do ano anterior, que totalizou 268 navios ​atracados. Sua movimentação total de cargas registrada no terminal durante o mês de maio ​foi de 565.905 toneladas​, elevando a movimentação acumulada do ano ​para 3.412.896 toneladas​, registrando-se uma queda de 13% ​em relação ao mesmo período do ano anterior, que somou 3.943.914 toneladas, ​com 268 escalas ​atendidas, observando-se um crescimento de 4% ​na movimentação de cargas por escala efetuada. Na movimentação de contêineres (TEUs), maio registrou 41.057 unidades e acumula nos cinco primeiros meses deste ano em 234.217, registrando-se uma queda de 7% em relação ao mesmo período do ano anterior quando foram somados 252.233 contêineres.

O terminal BRASKARNE​ registrou 3 escalas ​com 13.469 toneladas ​elevando a movimentação acumulada do ano ​para 14 escalas ​com 74.238 toneladas ​verificando-se um crescimento ​de 59 % ​na movimentação de cargas em relação ao mesmo período do ano anterior, quando foram registradas 10 escalas com 46.758 toneladas ​movimentadas, observando-se um crescimento de 40% ​no número de escalas em relação ao mesmo período do ano anterior.

O Terminal TEPORTI não registrou nenhuma. Sua movimentação acumulada do ano segue com o registro de 13 escalas ​com 27.959 toneladas, ​verificando-se uma queda ​de 17% ​na movimentação de cargas em relação ao mesmo período do ano anterior, que totalizou 11 escalas com 33.887 toneladas ​movimentadas, observando-se um crescimento ​de 18% ​no número de escalas realizadas.

No terminal POLY TERMINAIS apenas uma escala foi registrada ​com 4.000 toneladas, ​verificando-se uma queda ​de 33% ​na movimentação de cargas em relação ao mesmo período do ano anterior, que totalizou 3 escalas com 12.000 toneladas ​movimentadas.

Obs:

O relatório completo de estatísticas referente ao mês de maio de 2018 pode ser conferido no link abaixo:

http://www.portoitajai.com.br/novo/estatisticas/189/Estat%C3%ADstica%20de%20Maio%20de%202018

Mais informações:

Heder Cassiano Moritz – Assessor de Direção da Superintendência do Porto de Itajaí. (47) 3341-8029 / heder@portoitajai.com.br

Com o apoio de: Alan Peter Rosa – Assessor de Direção (47) 3341-8053 / alan@portoitajai.com.br

*Texto: Luciano Sens - Assessor de Comunicação - ASCOM (47) 3341-8067.

*Fotos: Marcos Porto/SECOM-PMI.

  • Enviar para amigo
  • Imprimir
  • Link:

Enviar notícia para amigo






Rua Blumenau, 05 | CEP 88.305-101 | Centro | Itajaí | Santa Catarina | Brasil
Telefone: [+55] 47 3341 8000